sw280497
 

Como planejo as minhas viagens



Ninguém merece perder tempo ou se meter em furada em viagens por falta de organização. Chegar ao destino sem um cronograma fechado pode até ser interessante em algumas situações, mas ter uma noção mínima do que fazer e para onde ir sempre faz a diferença.

Aí vão 9 dicas para você não sofrer com perrengues bobos e aproveitar a viagem ao máximo!

1. Se as minhas datas forem flexíveis, escolho o destino e pesquiso sobre quais os melhores meses para visitá-lo avaliando custo benefício, exemplo se for Itália, os melhores meses são maio e setembro devido não ser alta temporada, o que reduz os custos à metade, porém pode ser chuvoso, e com variação de temperatura entre dia e noite de 10° de diferença.

Se as datas forem fixas, escolho o melhor destino para aquele período, por exemplo se for agosto, e busco uma experiência no verão, pesquiso um destino no norte, tipo Estados Unidos ou Europa com praia porque a temperatura pode passar de 40 graus, mas definitivamente evito o Caribe e a Florida devido os furacões que podem ser devastadores neste período.


2. Busco as passagens em sites comparativos de preços mas prefiro comprar diretamente da empresa aérea da oferta, exemplo, posso usar o https://www.viajanet.com.br ou https://www.passagensimperdiveis.com.br para verificar quais empresas oferecem passagens ao meu destino, comparar os preços porém compro diretamente com a empresa aérea, isso evita transtornos quando há necessidade de reembolso.

3. Busco o melhor tipo de acomodação ao tipo de experiência que idealizei, por exemplo se for Caribe, aconselho sistema "all inclusive" por serem as praias em países sem muita estrutura, pode ser mais cansativo buscar os ingredientes e cozinhar os alimentos, além disso este tipo de oferta tem diversos restaurantes dentro do hotel onde você só terá o trabalho de pensar se quer comida local, italiana, carne, asiática, etc. Para tipo de reserva, faço busca no https://www.trivago.com.br site comparativo de preços, escolho as reservas de preferência que não precisem de depósito ou pagamento antecipado. Já em destinos mais urbanos onde caminhar faz parte da experiência prefiro https://www.airbnb.com.br ou https://www.booking.com para me sentir um residente.

4. Pesquiso sobre a logística de deslocamento, alguns destinos não oferecem transportes públicos eficientes como por exemplo as cidades americanas de Orlando ou Los Angeles onde é necessário alugar um carro ainda no aeroporto. No caso de visitar múltiplos países na Europa considero o global pass para viagem de trem, o qual somente pode ser comprado antecipadamente. Independente da sua escolha é essencial usar um GPS, Google maps, Waze.


5. Pesquiso sobre o tipo de alimentação no meu destino, no meu caso é fundamental para o sucesso da minha viagem.


6. Verifico os eventos artísticos, culturais e esportivos ANTECIPDOS no período que pretendo viajar, você não vai querer perder a festa por falta de ingresso. Vai? Eu, não.


7. Busco uma experiência direta com um residente como as enogastronomicas, sempre visito uma vinícola, procuro degustar um bom vinho e escutar a história que o guia tem a contar.


8. Adquiro um seguro de viagem. Nas minhas últimas experiências adquiri os da Afinity, a qual oferece cobertura nos meus destinos sem que eu precise investir no local para somente depois ser ressarcida, ou seja, o único investimento que terei que fazer é da medicação o resto já está tudo coberto, além das coberturas de mala perdida, passagem cancelada, etc.

9. E finalmente, mas não menos importante, levo a metade do que pensei em levar, sempre regresso com o dobro do que parti. Evito o famoso "e se" chover, tiver evento de gala. Acredite: Improvisar é melhor do que carregar excesso de peso.


Boa Viagem!



22 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo