sw280497
 

O dia em que as laranjas adoçam

Atualizado: 25 de jun. de 2021


Quem nunca escutou: "em São João as laranjas adoçam"... ou ainda "as tangerinas estão amargas porque ainda não é São João..." Mas por quê? Para entender devemos relacionar fato com compreensão popular.


Na cultura popular brasileira, as festas juninas, no mês de junho, seguem o calendário litúrgico da Igreja Católica, que, no processo de assimilação dos antigos cultos pagãos europeus – na transição das crenças e filosofias antigas para a Idade média acabou por substituir os rituais dedicados aos deuses médio-orientais, gregos, romanos e nórdicos por festas dedicadas aos santos.

Um bom exemplo é o de Adonis e São João Batista que trazem em seus legados "Boas Novas".

Segundo o mito grego, Adonis foi disputado por Afrodite (deusa do amor) e Perséfone (deusa dos infernos). A disputa foi apaziguada por Zeus, que determinou que Adônis passaria metade do ano com Afrodite, no mundo superior, à luz do Sol, e a outra metade com Perséfone, no mundo inferior, nas trevas, mitologia que explicava as estações do ano.

O culto a Adônis, cujo dia específico era 24 de junho, tinha por objetivo a celebração dessa renovação, da “boa-nova” do renascer da natureza, fim do inverno. Essa ideia foi assimilada pelo cristianismo, que substituiu Adônis por São João Batista, o qual, na tradição cristã, anunciou a “boa-nova” (boa notícia) da vinda do Cristo, filho de Deus, salvador da humanidade, que “renovaria todas as coisas”.


Mas porque tem a fogueira?

As tradicionais fogueiras das Festas Juninas também são herdadas das culturas greco-romanas e dos celtas. Esses povos cultuavam as fogueiras como forma de agradecimento aos deuses pelas boas colheitas. Essa prática também foi aderida no Brasil, fazendo com que esse item se tornasse mais um símbolo forte da festividade.


Mas peraí, e as laranjas, qual a relação com São João?

É uma antiga crença popular que associa as divindades, Deuses e Santos à agricultura. No caso das laranjas e tangerinas, frutas do inverno, as quais se beneficiam da diferença da temperatura no fim de junho, coincidentemente ao dia de São João, 24 de Junho.

De acordo com os agrônomos, a diferença de temperatura entre o dia e a noite faz com que as plantas armazenem mais açúcar e consequentemente a fruta fique mais doce.


Laranjas mais doces, chamas quentes, rapaduras crocantes, boas novas de São João, Adonis, tantos significados e sabores, que continue assim, que possamos sempre celebrar a vida, e respeitar a riqueza das diferenças culturais.

E que as festividades juninas, julinas, setembrinas tenham sempre um lugar especial, pois, além de valorizarem as tradições locais do país, também revelam muitos elementos históricos, religiosos e mitológicos curiosos.


Um ótimo inverno caro leitor!


15 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo